domingo, 13 de dezembro de 2015

Na Amazônia também tem feira de ciências: Alunos do ensino médio apresentam projetos em Uruará (PA)

Por Joabe Reis

Não é só florestas aldeias e onças. Há cidades, tecnologia e estudantes que conseguem criar alternativas para a sociedade contemporânea com o uso da ciência em projetos apresentados por alunos do ensino médio em Uruará, estado do Pará, na região central da Amazônia brasileira. Papocamos a informação!
A Escola de Ensino Médio Melvin Jones promoveu neste domingo, 13 de dezembro, na cidade de Uruará (PA) A Feira de Ciências. Alunos do 1º 2º e 3º ano apresentaram projetos durante a feira de acordo com os conteúdos propostos pelas disciplinas de Matemática, Física, Biologia e Química. 
Foram cerca de 100 projetos apresentados revelando a grande capacidade intelectual dos estudantes. 
Projetos para geração de energia, projetos que advertem sobre os perigos do câncer, projeto de como utilizar a gravidade, entre outros.
A Feira de Ciência é um projeto da escola elaborado em 2014, como informou Antônio Barbosa dos Santos, vice-diretor da Escola de Ensino Médio Melvin Jones. “Essa Feira de Ciências é um projeto que foi montado desde o ano passado, o Projeto Jovem do Futuro, e esse ano conseguimos colocar em prática. Envolveu trabalhos das disciplinas de Química, Biologia, Física e Matemática. As turmas foram divididas em grupos, cada grupo escolheu a área que queria apresentar seu projeto e hoje eles estão colocando em prática tudo aquilo que eles fizeram", disse o vice-diretor. Ainda segundo informou Antônio Barbosa os trabalhos valerão 4 pontos nas disciplinas citadas e os três melhores projetos receberão uma premiação especial. Uma equipe esteve avaliando os trabalhos e o resultado será divulgado na terça-feira, 15 de dezembro.
Letícia Alves aluna do 3º ano do ensino médio que juntamente com outros 6 alunos participantes do seu grupo apresentaram o projeto guindaste hidráulico de seringa, explicou o objetivo do projeto construído pelo grupo e fez sua avaliação sobre a feira de ciências. "O objetivo do nosso projeto Guindaste de Seringa é de que as águas contidas nas seringas exerçam força para que o guindaste levante peso. Essa Feira de Ciência está incentivando os alunos a conhecerem projetos novos que ainda não eram mostrados pela escola”, destacou a aluna.
A aluna Mirian Soares da Silva apresentou com o seu grupo o projeto A Bateria de Latinha para a geração de energia, segundo ela participar da feira foi divertido. “Está sendo muito divertido, eu pensei que seria mais difícil, mas foi tranquilo”, afirmou.


Muitos visitantes foram ao colégio conferir de perto o resultado dos trabalhos produzidos pelos alunos.

Mais imagens da Feira de Ciência:
  
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário