terça-feira, 22 de março de 2016

Polícia Civil fará fiscalização em hotéis da cidade de Uruará (PA)

Por Joabe Reis
Cidade de Uruará
Papocamos a informação!

No município de Uruará (PA) é comum pessoas se hospedarem em hotéis sem se identificarem, como também é comum funcionários serem contratados sem a devida identificação. Delegado de polícia alerta.
Saber a identificação de quem estar sendo hospedado ou de quem estar sendo contratado é contribuir para a manutenção da ordem na segurança pública.
O Delegado de Polícia Civil, Walison Damasceno, Titular da
Delegacia de Polícia Civil do município de Uruará (PA), foi o convidado desta terça-feira, 22 de março, do Programa 
Regional Comunidade da Rádio Regional 91.3 FM. Durante o programa o delegado respondeu perguntas de ouvintes e discutiu assuntos relacionados à segurança pública com o apresentador Joabe Reis.
Um dos assuntos abordados no programa foi o 
credenciamento de hóspedes em hotéis. A falta de cadastro para o registro da identidade do hóspede tem sido uma prática constante adotada por hotéis da cidade de Uruará, o que pode influenciar negativamente na questão da segurança pública do município, beneficiando criminosos.
Delegado Walison Damasceno
“É de conhecimento dos proprietários dos hotéis de que quando se abre um hotel tem-se que seguir normas e o Ministério do Turismo determina que todo hóspede que for ficar em determinado hotel deve ser cadastrado, ou seja, deve preencher um formulário informando número de documento, nome completo, a cidade de onde está vindo e alguns dados que possa identificar esse hóspede. Como também é proibido que menores de 18 anos se hospedem sem estar acompanhados dos pais ou de responsável com autorização. No entanto nós verificamos aqui em Uruará que alguns hotéis estão pecando no cumprimento do que é previsto”, apontou o delegado Walison Damasceno ao responder sobre o referido tema citado, e prosseguiu. “Recentemente nós tivemos um fato específico com a ocorrência de um furto num estabelecimento destes e no momento da apuração fomos verificar quem havia se hospedado e não havia cadastro nenhum do indivíduo que havia se hospedado nesse hotel, então isto dificulta muito o trabalho da polícia, isto é um risco até para o proprietário do estabelecimento e para os outros hóspedes, porque assim qualquer um chega e dar qualquer nome, e nesse caso específico a pessoa não tinha dado nem o nome, apenas o apelido”, exemplificou. 
Damasceno enfatizou sobre o procedimento a ser adotado pelos hotéis. “O preenchimento do cadastro com o nome completo do hóspede e exigência da apresentação de um documento de identificação evita até que crianças se hospedem em hotel acompanhados de pessoas que não são os pais, o que evitaria outros tipos de crimes como o crime de pedofilia, entre outros”. 
O delegado informou que a Polícia Civil começará a fiscalizar os hotéis da cidade. “A Polícia Civil também é responsável por fiscalizar esses estabelecimentos, todo o hotel deve ter a licença de funcionamento, da prefeitura como da Polícia Civil. E nós vamos começar a intensificar essa fiscalização e o hotel que não estiver cumprindo essa determinação ele poderá ser advertido, multado e ter até o seu alvará de funcionamento cassado. Primeiramente nós vamos notifica-los para que comecem a tomar esse tipo de atitude, que é realizar o cadastro do hóspede corretamente, e depois nós vamos fazer uma fiscalização, pois isto também é segurança pública. Segurança pública não é só prender, mas também é tomar todas a medidas para evitar o crime”, afirmou.
O delegado também citou o grande número de foragidos que
se escondem no município. “Aqui em Uruará o número de foragidos que nós prendemos é muito grande, esses foragidos acabam se escondendo aqui na região e se hospedam em hotéis e ficam a vontade porque ninguém nunca cobrou documento dos mesmos, e isto vamos ter que começar a modificar pra ter uma cidade melhor”, alertou.
Walison Damasceno mencionou também a falta identificação
de trabalhadores ao ser contratados por fazendas e comércios. “Aqui em Uruará eu vejo muito as pessoas que contratam pessoas que vem de fora (outro estado ou município) sem sequer pedir uma documentação, só para exemplificar, há alguns meses nós prendemos um indivíduo foragido da justiça de Santarém acusado até de homicídio de um taxista, ele estava há dois anos no município e estava trabalhando numa fazenda e ninguém sabia nem o nome dele completo, então isto nos causa preocupação. Se você vai contratar uma pessoa, peça a documentação dela, cheque seus antecedentes, para evitar possíveis problemas no futuro, porque será uma pessoa que você irá levar para sua casa ou para sua propriedade ou comércio, previna-se”, advertiu.

Para finalizar sobre o assunto o delegado ainda citou os 
asos em que mulheres vítimas de violência doméstica em Uruará não saberem o nome completo do parceiro agressor. “Às vezes chegam (na Delegacia de Polícia) mulheres para fazerem queixa de violência doméstica e quando perguntamos ela não sabe o nome completo do companheiro, sabe mal o primeiro nome. É preciso mais atenção. É como eu sempre falo: A segurança pública é responsabilidade do estado, é! No entanto, a população tem que participar”, concluiu o delegado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário