segunda-feira, 30 de maio de 2016

Banco da Amazônia lança a Campanha Crédito Em Dia no município de Uruará (PA)

Por Joabe Reis
Oportunidade para agricultor pagar a dívida do Pronaf em atraso no município de Uruará (PA)
Atenção agricultor, o Banco da Amazônia de Uruará (PA) está oferecendo uma super oportunidade para você pagar a sua dívida do Pronaf e voltar a ter crédito. Você poderá ter desconto de até 70%, essa é a sua chance de pagar a sua dívida! Procure agora mesmo a agência do Banco da Amazônia do município de Uruará (PA).
A Campanha Crédito Em Dia lançada pelo Banco da Amazônia no município de Uruará (PA) proporciona ao agricultor que está com dívidas do financiamento Pronaf (FNO) atrasado, ou seja, o agricultor que está inadimplente, a facilidade de poder pagar a sua dívida com até 70% de desconto. O objetivo da campanha é reestabelecer a condição financeira da situação de inadimplência do público do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar). “Nosso público do Pronaf aqui em Uruará é um público muito importante para a economia local, muito importante para o banco e a movimentação financeira por conta do Pronaf é muito elevada devido a comunidade de agricultores familiar ser bastante expressiva. Porém a inadimplência atualmente está muito grande e então o banco lançou essa campanha com a intenção de proporcionar as pessoas a oportunidade para que elas consigam pagar suas dívidas e tornarem a ficar aptas uma nova contratação de crédito”, explicou o gerente geral da agência do banco da Amazônia de Uruará, Júlio Cesar Cardoso.
Veja o vídeo abaixo:
Serão beneficiadas com a campanha os agricultores que contrataram as operações do Pronaf até o ano de 2008, estes agricultores poderão pagar suas dívidas com até 70% de desconto. São condições especiais, você que é agricultor e está inadimplente com o banco da Amazônia procure agora mesmo a agência do banco em Uruará e aproveite esta super oportunidade para pagar sua dívida. De acordo com dados do banco 691 contratos do Pronaf estão inadimplentes em Uruará (PA) e o banco da Amazônia pretende regularizar a situação de pelo menos 345 agricultores nesta situação. Segundo o banco, por causa do alto número de inadimplentes o crédito do Pronaf está travado no município e o banco está sem poder investir no setor, por isto é necessário os agricultores que contrataram o financiamento do Pronaf até o ano de 2008 e não pagaram, que estes regularizem a sua situação aproveitando as excelentes condições de descontos amparadas pelas  resoluções do Conselho Monetário Nacional, a  4314 e a 4315, que podem chegar a 70% do valor da dívida. Por causa da inadimplência desse número de agricultores mais de 70 milhões de reais está deixando de circular no município. Caso o agricultor perca esta oportunidade dificilmente terá outra chance de pagar sua dívida com tamanha facilidade.
O agricultor deve comparecer na agência do Banco da Amazônia de Uruará tendo em mão o seu CPF, será recalculado a operação de crédito. Por exemplo: se o gerente olhar no sistema e ver que o agricultor está devendo 100 reais, será feito uma simulação, vai ser dado desconto e aí o agricultor escolhe se quer liquidar a operação ou se ele quer renegociar a operação. Se o agricultor optar por renegociar a operação ele pode renegociar dando apenas 10% do valor já recalculado e o restante ele divide em até 10 anos. Mas como as operações do Pronaf são de valores não expressivos e por este fator o banco acredita que os agricultores poderão liquidar a dívida, com desconto que podem chegar a até 70 % em alguns casos, ou seja, quem dever os 100 reais citados no exemplo, irá pagar apenas 30 reais.
O gerente alerta para que os agricultores não percam o prazo e não corram o risco de perder a oportunidade. “O prazo vai até o dia 30 de dezembro de 2016. O quanto antes o agricultor nos procurar, melhor, a chance é agora. Para o município de Uruará esta é uma medida muito importante, porque na medida em que eu consigo recuperar esse crédito, automaticamente eu libero a minha alçada para contratar novos negócios e eu foco na liberação de crédito, em financiar novas atividades. Se você é avalista de um devedor que não tem condições de pagar a dívida, mas você condições de efetuar o pagamento aproveitando essas condições já apresentadas, o conselho é que você faça o pagamento e volte a ter crédito”, disse Julio Cesar.

O gerente ainda mencionou a diminuição de vendas no comércio local, mais especificamente nas casas agropecuárias, e na visão do gerente isto está diretamente influenciado pela inadimplência no Pronaf o que vetou a injeção de dinheiro por parte do Banco da Amazônia que antes ocorria, no que se refere a agricultura familiar no município. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário